Olá, tenha uma Boa Tarde! - Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

MORRE HUMORISTA BERTOLDO BRECHA

Publicado em: 28/09/2010 04:17:16


Morre o humorista Mário Tupinambá, o Bertoldo Brecha da "Escolinha do Professor Raimundo".

alt

 Nesta segunda-feira (27) de manhã, morreu no Rio de Janeiro, aos 78 anos, o humorista baiano Mário Tupinambá, que interpretava o personagem Bertoldo Brecha na "Escolinha do Professor Raimundo". Seu bordão no humorístico de Chico Anysio, "Veeeeenha!", ganhou as ruas na época em que o programa ia ao ar.

Mário estava internado na Clínica São Lucas, em Copacabana, desde o dia 8 de agosto. Segundo o boletim do hospital, a causa da morte foi um choque cardiogênico. Mário sofria de insuficiência cardíaca e diabetes. (Fonte iG).

"Negada liberdade a assassino de John Lennon"

Publicado em: 10/09/2010 12:25:49


A Justiça americana negou pela sexta vez, nesta terça-feira (7), a liberdade condicional ao assassino do músico britânico John Lennon.

Mark David Chapman, condenado à prisão perpétua depois do homicídio em Nova York há três décadas. Chapman “teve uma entrevista nesta manhã, na qual lhe foi negada a liberdade condicional”, disse Marc Violette, porta-voz da Divisão de Liberdade Condicional do estado de Nova York.

Detido no presídio de Attica, no norte do estado de Nova York, Chapman solicitou seis vezes a liberdade antecipada e pode pedi-la mais uma vez em agosto de 2012. O homem, agora com 55 anos, assassinou o ex-Beatle a tiros em frente ao edifício Dakota, próximo ao Central Park, em 8 de dezembro de 1980.

Foi sentenciado em 1981 à prisão perpétua com possibilidade de obter liberdade condicional a partir dos 20 anos de prisão.

A viúva de Lennon, Yoko Ono, disse diversas vezes que se opõe à libertação de Chapman por ainda considerá-lo uma ameaça para sua família.

"Sete erros do 7 de Setembro"

Publicado em: 10/09/2010 02:58:39


O grito do Ipiranga

Em 1822, ano da Independência do Brasil, ainda não existia celular com câmera (ou celular, né?), cinegrafista de televisão (nem televisão), nem paparazzi para ficar no pé das celebridades daquela época. Por isso, para saber como tinha sido um acontecimento importante, o pessoal tinha que contar com a boa vontade dos observadores e fofoqueiros que estivessem por perto. Então, como saber o que aconteceu de verdade quando D. Pedro I levantou sua espada às margens do riacho Ipiranga, no dia 7 de setembro, e declarou nosso país, que na época era colônia de Portugal, independente?

Mais difícil ainda era retratar esse dia tão especial 69 anos depois, quando o pintor Pedro Américo começou a trabalhar no quadro Independência ou morte, que fica em exposição permanente no Museu Paulista da USP, em São Paulo, mais conhecido como Museu do Ipiranga. A obra ficou pronta em 1888, um ano antes do fim do Império no Brasil. Como o imperador D. Pedro II não queria a República de jeito nenhum, Pedro Américo deu uma valorizada no jeitão de herói do pai do governante.

Nem tudo aconteceu direitinho como ele pintou. Perceba os sete erros do 7 de setembro
 

Lei da cadeirinha de bebê

Publicado em: 10/09/2010 02:35:47


Falha jurídica impede aplicação integral da Lei da Cadeirinha

Lei é baseada na idade das crianças. Mas Constituição não obriga pais ou motoristas a andar com o documento delas

A Lei da Cadeirinha, que começou a vigorar no dia 1º de setembro em todo o País, possui uma falha jurídica que impede sua aplicação integral. A resolução 277, de 28 de maio de 2008, está baseada na idade das crianças. Mas a Constituição Federal não obriga crianças, seus pais ou quem as conduza a portarem documento das mesmas.

O RG só é obrigatório no País a partir dos 18 anos - e, após os 16 anos, recomendável. Neste ponto, há uma das principais incoerências da Lei: crianças de até sete anos e meio devem ser transportadas no banco traseiro - sendo que para aquelas de até quatro anos é obrigatório o uso da cadeira especial ou do bebê conforto - mas o motorista não é obrigado a provar a idade de quem transporta. Fica a palavra dele contra a do agente de fiscalização.

Wanessa: "Gosto de música depressiva"

Publicado em: 09/09/2010 23:55:40


Wanessa: "Gosto de música depressiva, de arrancar os cabelo
Muitos telões de LED, luzes, bailarinos e até um coral ensaiados meticulosamente. O sonho pop de Wanessa ganha reforço  quando a cantora faz um show de superprodução inédito no palco do Citibank Hall, em São Paulo. Trata-se de uma nova fase em sua carreira, que leva investimento estratégico para alavancar novamente seu nome como ícone da música pop.

É também com esse show que Wanessa lança quatro músicas em formato online, via “music ticket”. Apesar da sonoridade dançante, a cantora brinca: “Gosto de música depressiva, de arrancar os cabelos”, disse nesta quinta-feira (9) durante sua coletiva de imprensa no restaurante Shaya, de seu marido Marcus Buaiz, em São Paulo. “Mas agora estou em uma fase bate-cabeça”, completou.

 

Wanessa Camargo, nasceu em Goiânia, Goiás, em 28 de dezembro de 1982, é uma cantora de música pop brasileira. Também é compositora, atriz formada (possui DRT), bailarina, instrumentista e empresária..

É filha do cantor Zezé di Camargo, e esposa do empresário capixaba Marcus Buaiz. Em 2009, deixou de usar o sobrenome do pai, Camargo, no meio artístico, alegando que devido as pessoas as chamarem de Wanessa, era melhor ela só usar "Wanessa".alt