Olá, tenha uma Boa Noite! - Sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

CANTOR GUSTTAVO LIMA ESTÁ COM DENGUE

Publicado em: 21/07/2014 15:58:48


Gusttavo Lima“Venho por aqui me redimir e pedir desculpas aos meus fãs pelos 2 shows cancelados em Sertãozinho-SP e Itapecerica da Serra-SP. Estou enfrentando um problema de saúde, pois estou com dengue. Estou me recuperando… Estou tomando muito líquido, muito soro e, há dois dias completamente sem levantar da cama. Espero, o mais breve possível, estar perto dos meus fãs e em cima dos palcos!”

Seus seguidores, preocupados, comentaram: “Melhoras, amor. Deus já está cuidando de você”, “Fica bom logo!” e “Estou rezando por você, vai dar tudo certo”. (Fonte: Gusttavo Lima está com dengue! O cantor deu entrada em um hospital de Goiás na tarde de sábado, 19, e confirmou a suspeita. Ele postou foto no seu Instagram no domingo, 20, com uma agulha na veia para tomar soro.

Na legenda, ele escreveu:

“Venho por aqui me redimir e pedir desculpas aos meus fãs pelos 2 shows cancelados em Sertãozinho-SP e Itapecerica da Serra-SP. Estou enfrentando um problema de saúde, pois estou com dengue. Estou me recuperando… Estou tomando muito líquido, muito soro e, há dois dias completamente sem levantar da cama. Espero, o mais breve possível, estar perto dos meus fãs e em cima dos palcos!”

Seus seguidores, preocupados, comentaram: “Melhoras, amor. Deus já está cuidando de você”, “Fica bom logo!” e “Estou rezando por você, vai dar tudo certo”. Fonte: http://wp.clicrbs.com.br, de 21.07.2014).

FALECEU O CANTOR JAIR RODRIGUES AOS 75 ANOS

Publicado em: 08/05/2014 16:31:40


O cantor Jair Rodrigues de Oliveira morreu nesta quinta (8), aos 75 anos. Ele foi encontrado morto na sauna de sua casa na Granja Viana, zona oeste da Grande São Paulo, nesta manhã. O músico estava sozinho no local.
 
Segundo o empresário do cantor, Jair Rodrigues não apresentava nenhum problema de saúde e estava cumprindo a agenda de shows normalmente.
 
A família está desolada e aguarda perícia para saber a causa da morte. Casado com Clodine, ele deixa os filhos Luciana e Jair Oliveira, ambos cantores.
 
Jair Rodrigues nasceu em Igarapava, interior de São Paulo, em 06 de fevereiro de 1939. Depois de passar a infância e adolescência cantando em corais de igreja, começou a carreira profissional como crooner, em 1957. No ano seguinte, participou de seu primeiro concurso de calouros.
 
Na década de 1960, mudou-se para São Paulo, onde trabalhou como engraxate, mecânico, servente de pedreiro e ajudante de alfaiate, enquanto tentava se estabelecer na música. Começou a se destacar cantando sambas.
 
Seu primeiro sucesso foi Deixa Isso pra Lá, eternizada pela clássica coreografia que fazia, sempre gesticulando com as mãos.
 
Jair Rodrigues ganhou o Brasil ao interpretar a hoje clássica Disparada, de Geraldo Vandré, vencedora do Festival da Canção de 1966, junto de A Banda, de Chico Buarque, defendida por Chico e Nara Leão.
(Fonte: http://entretenimento.r7.com, de 08.05.2014).

FALECEU JUNIOR, CANTOR DE EXCUSE ME, SUCESSO DOS ANOS 70

Publicado em: 18/04/2014 18:06:25


Faleceu em Madrid, na Espanha, no último dia 15 de abril, o cantor Junior, cujo verdadeiro nome era Antonio Morales Junior. Ele que se tornou conhecido mundialmente a partir de 1974, quando gravou a canção "Excuse Me", versão em inglês da música "Perdoname" letra original dele em parceria com Snapier Bell.
 
Além do espanhol (sua língua-mãe), Junior também gravou em inglês, pela RCA nos anos 70, de certa forma seguindo uma tendência muito em voga na época, em que artistas de outros países estavam fazendo sucesso com canções cantadas na língua inglesa.
 
A canção "Excuse Me" só fez sucesso aqui no Brasil, principalmente sua versão em inglês, talvez embalada pela onda dos sucessos de artistas como Morris Albert, Chrystian, Dave McClean e outros brasileiros que estavam estourados nas rádios com hits em inglês.
 
No Brasil, Junior fez sucesso com apenas duas canções: a citada "Excuse Me", em 1974, e também a balada "Give A Second Chance", música que fez parte da trilha sonora da novela global "Anjo Mau" de 1976.
O único LP do cantor lançado no Brasil em 1976, trazia como título o seu maior sucesso, "Excuse Me". Neste álbum há uma curiosa versão em inglês do clássico de Dolores Duran, "A Noite Do Meu Bem", cuja versão recebeu o título de "Morning".
 
Entre 1974 e 1976, o cantor teve grande destaque nas paradas de sucesso do Brasil. Junior nunca mais conseguiu repetir o grande êxito da balada "Excuse me", porém, até os dias de hoje, esta canção ainda é bastante executada pelas rádios, principalmente em programas de Flash-Backs, confirmando assim a beleza e genialidade de uma das mais pungentes canções românticas que um artista já mostrou para o mundo. (Fonte: rstone, 18.04.2014).

FALECEU AOS 82 ANOS ZORAIDA LIMA TEIXEIRA, A VIÚVA DE TEIXEIRINHA

Publicado em: 21/02/2014 02:47:13


Faleceu na manhã dessa quinta-feira, 20, em Porto Alegre, a santa-cruzense Zoraida Lima Teixeira, viúva de Victor Matheus Teixeira, o Teixeirinha. Ela tinha 82 anos e era filha de Anápio e Estela Ferreira Lima.
 
Zoraida conheceu o músico ainda na década de 50, quando ele era funcionário do Daer e percorria as cidades gaúchas para se apresentar nas emissoras de rádio e divulgar suas músicas. O casal se casou na Catedral São João Batista em 21 de setembro de 1957.
 
Dois anos depois, Teixeirinha gravou seu primeiro disco e se tornou um dos cantores e compositores mais famosos do Estado. Após, Zoraida e Teixeirinha foram morar em Porto Alegre, cidade onde ele faleceu em 1985. O casal teve quatro filhas (Margarete, Fátima, Elisabete e Márcia). O velório de Zoraida acontece na Capela 6 da Santa Casa. (Fonte: http://www.gaz.com.br).

EX-MENUDO MORA EM FLORIANÓPOLIS

Publicado em: 03/02/2014 16:51:47


O proprietário do Índio Tattoo, estúdio de tatuagem no Canto da Lagoa, em Florianópolis, é conhecido na vizinhança como um tipo tranquilo. Só quem tem mais de 40 anos reconhece em seus olhos e no corte de cabelo (ainda o mesmo!) alguma coisa familiar, embora a pele exiba marcas da exposição ao sol e ao mar. Lembra do hit dos anos 1980 Não se Reprima? Sim, vem daí a memória. O Índio da Lagoa da Conceição já foi um Menudo. Ele era o Roy Rosselo “2”, um brasileiro que substituía o Roy “1” nas apresentações pelo país.
 
Discreto e envergonhado, Índio pouco fala de seu passado no Menudo, a boy band que Ricky Martin integrou antes de partir para carreira solo. Mas quando se dispõe a lembrar dos velhos tempos, não poupa detalhes um tanto frustrantes para as fãs e fofocas do showbiz daquela época.

– Falavam que eram de Porto Rico, mas nem todos eram. Muitos não falavam espanhol, mas forjavam sotaque – conta.
 
Índio – seu nome de nascimento é Jorge Prado – entrou para grupo aos 14 anos, em 1983. Filho de índios do Mato Grosso, foi morar com a família em Campinas, no interior de São Paulo, depois de ter circulado por algumas aldeias. Por lá, aos 11, foi descoberto por um caça-talentos e passou a participar de comerciais e desfiles infantis.
 
– Como eu era modelo, o Helio Batista, um empresário, começou a me seguir. Ele descobriu vários talentos na época.
 
Helio enxergou nele o perfil para ser um integrante do Menudo, que na época era um estouro no Brasil.
 
– Eu gostava de reggae, essas coisas. Mas achei legal a ideia, mais por causa das meninas – brinca Índio, hoje com 45 anos.
 
Se a meta era fazer sucesso com as mulheres, ela foi atingida. A lista de famosas e subcelebridades com as quais Roy Rosselo “2” teve um affair é grande, começando com Mara Maravilha, passando por Rita Cadillac e chegando a Amanda Françoso. Mara Maravilha, na época, era namorada do Roy oficial, o porto-riquenho.
 
– Ele ficava com a Mara, ela era meio doidinha. Uma vez, rolou uma história entre nós na praia – confessa.
 
Ele deixa claro, porém, que quem foi acusado de bater numa mulher foi o outro Roy, que também protagonizou diversas polêmicas e não desperdiçou as oportunidades de incriminá-lo em seu lugar.
 
– Nessa época eu já estava fazendo shows pelo Brasil todo, e ele ficou descontente, com ciúmes eu acho. Também aconteceu de eu ter um filho com a ex-namorada dele. Foi aí que brigamos. 
 
Menudo no Brasil
 
No começo dos anos 1980 a gravadora RCA lançou no Brasil um grupo de garotos porto-riquenhos que vinha fazendo sucesso no universo pop latino. Era a banda Menudo (a palavra de origem hispânica quer dizer miúdo, pequeno), criada ainda em 1977 pelo produtor Edgardo Díaz. A proposta era ter sempre rapazes adolescentes como integrantes. Quando completavam 17 anos eram substituídos por outros. O apogeu foi com a chamada formação clássica (foto), composta por Robby Rosa, Charlie Massó, Roy Rosselo, Ray Reyes e Ricky Melendez.
 
Quem da nova geração pesquisar na internet sobre o Menudo talvez não entenda as razões de um grupo que usava roupas coloridas e colantes, cantando músicas de qualidade duvidosa, fazer tanto sucesso. Mas há que se lembrar que o seu auge foi nos anos 1980, a década do tudo over, do exagero, das fluorescências.
 
– Achei a banda interessante. Fui a Porto Rico e fechei contrato para 12 shows no Brasil – lembra o empresário Helio Batista.
 
Foi ele o responsável por fazer explodir a boy band no país. Na época, o quinteto arrastava milhões, lotava estádios e deixava garotas suspirando, num fenômeno comparado à beatlemania.
 
Helio acabou fazendo 18 apresentações no Brasil, duas delas no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Esses shows reuniram pelo menos 2 milhões de pessoas. A fama era tamanha que o Menudo se tornou um dos grupos da época com mais participações em programas televisivos e fã-clubes espalhados por todo país.
 
O próprio Helio Batista criou o Menudo Mania, atração de TV semanal em que os garotos compareciam todos os sábados. Ele conta que o Roy “Índio” era quem se apresentava no lugar de Roy Rosselo.
 
Apesar do sucesso estrondoso (além dos shows, eles contavam com a venda de produtos como camisetas, bottons e pôsteres), Índio diz que a maior parte do faturamento ia para as mãos dos empresários.
 
– A gente não via o dinheiro. Eram cinco menudos, cada um ficava com apenas 5%. 
 
Ele também revela que a convivência entre os garotos não era das mais genuínas.
 
– Era meio falso. Nos encontrávamos nos ensaios, nas produções e gravações de TV e rádio, mas não saíamos juntos e nem íamos para o parque brincar.
 
Vida tranquila em Florianópolis
 
Durante e depois do período Menudo, Roy "Índio" desfrutou de todas as benesses e encarou os problemas que a fama traz. Entre as coisas que recorda com carinho estão os romances, como o que teve com Rita Cadillac, de quem hoje é amigo, e Luiza Ambiel (alguém lembra da Banheira do Gugu?).
 
– Rolava muito assédio nos hotéis – comenta ele.
 
Flávia, uma de suas filhas, foi concebida depois que uma fã invadiu o quarto de um hotel em que ele estava hospedado.
 
– Esta década (1980) foi muito boa, época do new wave. Conheci todo aquele pessoal, o Paulo Ricardo, o Evandro Mesquita...
 
Depois que deixou de ser menudo, Índio montou uma agência de publicidade no interior de São Paulo, com a qual produzia comerciais e montava elenco de mulheres para sentarem no auditório de programas televisivos.
 
Veio para Florianópolis nos anos 1990 e demonstra sinceridade ao dizer que o Menudo ficou em seu passado. Hoje gosta de tatuar, fazer artesanato e pegar ondas, tudo com discrição.
 
– Aqui em Florianópolis algumas pessoas ainda lembram de mim.
(Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br, de 03.02.2014)